Archive for Agosto 2014

Torta de brigadeiro para uma turminha bem gulosa!

      O friozinho deste sábado pedia algo gostoso, doce e cheiroso... Algo como chocolate! A semana foi bastante corrida e cheia de compromissos e preocupações, então, nada melhor do que um delicioso bolo para nos acalmar  repor nossas energias. A escolha foi unânime e lá fui eu acender o forno e separar os ingredientes, a receita segue abaixo.
     O cheirinho do bolo assando invade a casa, isso posso garantir. Que todos tenham uma ótima semana, feliz e abençoada... E com gostinho de chocolate.

Ingredientes:
 Massa:
  • 1/2 xícara (chá) de chocolate em pó (de boa qualidade)
  • 1 xícara (chá) de açúcar
  • 1 xícara (chá) de leite
  • 5 ovos
  • 1 colher (sopa) de fermente em pó
Recheio e cobertura:
  • 1/2 xícara (chá) de chocolate em pó
  • 2 latas de leite condensado
  • 2 colheres (sopa) de manteiga
  • 1 caixinha de creme de leite
 Decoração:
  • chocolate granulado ou miçangas de chocolate ou raspas de chocolate.
Modo de preparo:
 Bolo:

     Bata as claras em neve, junte as gemas e o açúcar e volte a bater, acrescente o leite sem parar de bater (diminua nesse momento a velocidade de batedeira). A seguir, com um fouet, acrescente a farinha de trigo, o chocolate em pó e o fermento, delicadamente até agregar tudo e ter uma massa homogênea. Despeje a massa em forma untada e enfarinhada e asse a 200ºc (pré aquecido), por uns 40 minutos. Deixe o bolo esfriar, corte ao meio, recheie com metade do brigadeiro, cubra com outra metade do bolo. Espalhe o brigadeiro restante sobre o bolo e decore a gosto. Leve para gelar e sirva a seguir.
 Brigadeiro:

     Leve o leite condensado com o chocolate e a manteiga ao fogo, mexendo sempre. Após começar a ferver, continue mexendo e deixe cozinhar por uns 6 minutos, junte o creme de leite e cozinhe por mais um minuto. Após isso é só montar o bolo.


COMPOTA DE LARANJINHA KINKAN

   
   Sexta-feira passada estava tão fria e chuvosa que resolvi ligar o forno, assar um bolinho para o lanche e já deixar tudo mais ou menos preparado para a pizza de sábado. Me empolguei e olhei para as laranjinhas que havia comprado pela manhã... 
     Por que não fazer a compota agora e, assim, trazer um pouquinho daquele amarelo dourado do sol para essa tarde tão cinzenta e fria? Valeu a pena.
     O ânimo voltou, a casa ficou perfumada e eu, feliz, ao ver minha turminha "caindo de boca" nas guloseimas preparadas com tanto amor. Ah, e o bolo eleito para acompanhar as laranjinhas foi o de coco, ficou supimpa!!

Ingredientes:
  • 1Kg e 200g de laranjinhas kinkan
  • 600 g de açúcar
  • 600 mL de água
  • 6 cravinhos da índia
  • 2 ramas de canela
Modo de preparo:
    Lave bem as laranjinhas, corte-as ao meio e retire os caroços. Coloque-as em uma panela e cubra com água e leve-a ao fogo para ferver. A seguir, escorra e descarte a água. 
    Em uma panela de fundo grosso, ponha as laranjinhas escorridas, o açúcar, água e especiarias. Leve ao fogo e deixe ferver. A seguir, abaixe o fogo e deixe cozinhar até as laranjinhas estarem macias e a calda grossinha. Depois de pronto, deixe esfriar e coloque-as em uma bela compoteira ou potes de vidro e conserve na geladeira. 
     Sirva com bolos, queijos, iogurte grego, tortas, sorvetes e etc. Fica uma delícia!!!

PAI

As tuas mãos tem grossas veias como cordas azuis
sobre um fundo de manchas já cor de terra
- como são belas as tuas mãos -
pelo quanto lidaram, acariciaram ou fremiram
na nobre cólera dos justos...

Porque há nas tuas mãos, meu velho pai,
essa beleza que se chama simplesmente vida.
E, ao entardecer, quando elas repousam 
nos braços da tua cadeira predileta,
uma luz parece vir de dentro delas...

 Virá dessa chama que pouco a pouco, longamente,
vieste alimentando na terrível solidão do mundo,
como quem junta uns gravetos e tenta acende-los contra o vento? 
Ah, como os fizeste arder, fulgir,
com o milagre das tuas mãos.

E é, ainda, a vida
que transfigura das tuas mãos nodosas...
essa chama da vida - que transcende a própria vida...
e que os Anjos, um dia, chamarão de alma...
     -Mario Quintana 
Dedico esse poema ao meu querido e amado pai, João, que tanto aquece minha alma com seu amor, cuidado e desvelo. Sou feliz por tê-lo como pai, amigo e exemplo de vida. Ele não possui formação acadêmica, mas é doutor em dignidade, decência, honestidade e amor. Ah, sim, ele sabe amar, amar como ninguém. E hoje, sou ainda mais feliz por vê-lo desempenhar seu papel de avô com muito louvor. Felizes são meus filhos, muito, muito felizes! Pai, obrigada por ser exatamente como é e por todo esse amor, que me dá sempre. Eu te amo!!
Sua Katola. 

Tecnologia do Blogger.